Egito: Templo do Deus Crocodilo

Gostou deste artigo? Agradeça divulgando:Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on Facebook0

Um novo sítio antigo foi aberto ao público no Egito – um templo do deus crocodilo Sobek.

Medinet Madi está localizado na região do Egito Faiyum, uma área fértil em torno de um lago no final de uma sucursal do Nilo chamada Bahr Yusuf (“O Rio de José”).

O templo possui uma longa avenida alinhada com esfinges e leões, além de uma sala de incubação para chocar ovos de crocodilos sagrados. Você acharia que esses crocodilos vivessem uma vida boa, nadando em águas em volta dos pântanos e comendo uma vítima ou duas dos sacrifícios. Em vez disso, eles eram mumificados e vendidos aos peregrinos.

Sobek era um dos deuses mais importantes do antigo Egito. Ele é geralmente retratado com o corpo de um homem e a cabeça de um crocodilo. Ele seria o criador da Terra, quando ele colocou os ovos em águas primordiais, e o Nilo é supostamente ser o seu suor. Ele é o deus do Nilo, de Faiyum e claro, dos crocodilos.

Nos tempos antigos, o Nilo e as zonas úmidas de Faiyum eram cheios de crocodilos. O povo rezava para Sobek para apaziguá-los. Por ele ser um deus feroz, ele foi um dos patronos do exército egípcio.

O Templo de Sobek em Medinet Madi foi construído pelo faraó Amenemhat III (c.1859-1813 a.C.) e Amenemhat IV (c.1814-1805 a.C.) durante o Médio Império do Egito e se expandiu durante o período Ptolomaico (332-30 a.C.), após o Egito ser conquistado por Alexandre, o Grande.

O templo é também dedicado à deusa com cabeça de cobra Renenutet, que em algumas tradições, era a esposa de Sobek. Apesar de sua aparência, ela era uma divindade muito mais amável do que Sobek, uma espécie de deusa-mãe que amamentou os bebês e lhes deu o Verdadeiro Nome mágico. Agricultores gostavam dela, porque cobras comiam ratos que destruiam suas colheitas.

O novo sítio de turistas foi financiado pela Itália, que utilizou € 3.500.000 (pouco mais de R$ 8 milhões) para limpar a areia e restaurar o templo. Arqueólogos italianos trabalham na área há décadas e além do templo de Sobek, eles encontraram um acampamento militar romano e dez antigas Igrejas Cristãs Cópticas que datam do quinto ao sétimo século d.C..

Medinet Madi não é o único templo de crocodilo. Não muito longe fica Crocodilópolis, onde os egípcios honraram o sagrado crocodilo Petsuchos colocando ouro e pedras preciosas em seu couro. Existem vários outros templos de Sobek ao longo do Nilo, o mais impressionante sendo Kom Ombo no extremo sul, perto de Assuã.

Kom Ombo é um dos templos mais fascinantes do Egito. É um pouco mais novo dos templos egípcios – sendo fundado no século II a.C., na dinastia Ptolomaica. Esculturas de Sobek e outras divindades adornam as paredes e colunas. Há também algumas cenas da vida quotidiana. Na face interna do corredor externo há um olho em uma escultura mostrando uma assustadora série de ferramentas antigas de cirurgião. Há também o pequeno santuário de Hathor no complexo do templo, onde pilhas de crocodilos sagrados da necrópole próxima são mantidos.

O Egito é mesmo fascinante, com uma história de milênios que se confude com o início da civilização. Vale a pena se programar e conhecer esse centro do nosso planeta Terra.

Via: Gadling

Gostou deste artigo? Agradeça divulgando:Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on Facebook0

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *